A arte subtil de saber dizer que se f*da - Opinião no Go Carol

63084D22-E33D-4B13-8838-5A76C06D02FD.JPG

Este é um livro diferente de TUDO que li até agora. Ando na fase dos livros de auto-ajuda, autoconhecimento, psicologia e tal, e de repente pego num que acho que está totalmente ligado a isto (e está) mas que me diz que não sou assim tão importante, que não sou assim tão especial, que agradecer todos os dias é uma treta e que se lixe se faço asneira ou se a vida não me corre bem.

É um misto de “O que é que estás para aí a dizer??” com “Até tens razão no que dizes… toda a razão”. É um “abre olhos”, uma (outra) forma de vermos a realidade, de nos mostrar que nem tudo é como os outros livros de auto-ajuda dizem. Que olhar para o espelho e dizer coisas bonitas acerca de nós é só parvo. Que ninguém é perfeito nem tem uma vida perfeita. Que toda a gente faz asneiras e que somos todos iguais.

17F0A5C2-F0B4-43DA-9211-E0DC9441875D.JPG

Resumidamente e de forma rápida e simples é isto que o livro diz. Muitas vezes só quando as coisas correm mal é que nos mexemos, tentamos fazer algo diferente, inovador, o que realmente queremos.

B3D4C736-4E61-4CEA-A242-BB5C7033D659.JPG

Apesar de se tratar de algo bem diferente do que li até hoje, como já referi, e também daquilo em que tento acreditar, não deixa de transmitir muitas verdades e mostrar que há outros caminhos que nem sempre vemos, porque estamos iludidos com alguma coisa não tão importante.

Publicado em 25 Março 2019

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business