A Redenção de Gabriel - Crítica no Leitura Não Ocupa Espaço

A Chá das Cinco presenteia-nos com a conclusão da trilogia best-seller de Sylvain Reynard, com"A Redenção de Gabriel".
 
Depois de um começo bem romântico em "O Inferno de Gabriel" (podem consultar a opinião do LNOE AQUI), passando para um ritmo mais acelerado e recheado de sensualidade no segundo volume,"O Êxtase de Gabriel" (podem consultar a opinião do LNOE AQUI), concluindo com "A Redenção de Gabriel", cujo registo frenético e sexual é alucinante, mas não menos viciante!
 
Depois de várias adversidades causadas por factores externos e traumas do passado, Julia e Gabriel estão, finalmente, casados!
 
Espera-se que o início de uma vida em conjunto seja sossegado e descontraído, aproveitando o clima de lua-de-mel, mas este casal nunca fora nenhum dos dois, e nem o seu amor devoto e a troca de votos, lhes garante o lado bom da vida.
 
Sylvain Reynard criou o caos, mas o caos no bom sentido! Todos os vilões que assombraram o nosso casal protagonista, voltam em peso, para o final da trilogia.
 
Confesso que me foi um pouco difícil acompanhar tanta informação relativa aos vilões da trama pois, a dita, aparecia de forma aleatória e sem pré-aviso, e em pequenos capítulos que têm como objectivo suscitar a curiosidade do leitor, fazendo-nos ansiar por saber quais as suas intenções e como as poriam em prática.
 
Reynard pôs em prática um plano maléfico destinado a dar uma conclusão explosiva aos maus carácteres da trilogia, conseguindo-o! 
 
Em relação às personagens principais, Julia e Gabriel, é impossível não notar nas suas evoluções, em especial Julia, que embora numa tenra idade, assume em pleno o papel de Senhora Emerson, mostrando-se madura e muito mais confiante.
Apesar de por vezes se mostrar um pouco desconfiada e apática, Julia não perde a sua fé no mundo, nem mesmo quando o azar lhe bate à porta, mantendo-se fiel aos seus ideais e ao seu amor pelo seu marido.
 
Por seu lado, Gabriel é uma inconstante. Mesmo depois de casar com a sua "Beatriz", o professor continua a ser assaltado por lembranças do passado que não quer reviver, atravessando uma grande luta interna que põe em risco o seu casamento.
Gabriel é, do casal protagonista, a personagem com maior destaque, tanto pela sua volatilidade, como pela sua paixão e personalidade invulgar.
 
É de louvar a coragem que Sylvain Reynard teve ao arriscar tanto neste livro. Com a inserção de tantas personagens e tantos episódios de relevância referentes às mesmas, poderia estar perante a receita para o desastre, mas contrariando as hipóteses, Reynard mostrou a sua fibra literária ao orquestrar uma obra tão bem executada.
 
Com um final previsível mas conquistado a pulso, com várias twists e intervenções (quase) divinas,"A Redenção de Gabriel" é o final perfeito para a trilogia de Sylvain Reynard.
 
De fácil e rápida leitura, com uma linguagem, como sempre, bastante acessível, apesar das suas referências histórias (note-se que até o mais leigo na matéria se consegue inteirar da mesma graças ás explicações presentes no livro!).
 
Sentirei saudades do professor e de Julianne, mas estes têm, finalmente, o seu merecido descanso e o seu lado bom da vida.
Publicado em 20 Fevereiro 2014

Arquivo

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business