Anexos opinião no blogue As Leituras do Corvo

 Na redacção do The Courier, todos sabem que os e-mails são monitorizados e que, por isso, só devem usar o e-mail do trabalho para assuntos profissionais. Mas Beth e Jennifer não estão preocupadas com isso e não têm problemas em trocar mensagens pessoais durante o dia. Não as preocupa que haja alguém a ler o que escrevem. Mas a verdade é que há mesmo. O único trabalho de Lincoln é precisamente fazer essa monitorização e, por mais que isso lhe desagrade, a verdade é que não tem em vista nenhuma opção melhor. O problema surge quando, ao cruzar-se com as conversas de Beth com Jennifer, começa a sentir interesse pela vida delas. Interesse e, no caso de Beth, algo mais.

Romance um tanto improvável, mas bastante enternecedor, este é um livro que cativa, em primeiro lugar, pela estranha inocência que parece percorrer toda a história. A história passa-se em 1999, em pleno pânico do bug do milénio e num cenário em que os meandros da internet são algo de bastante novo. Talvez por isso seja, ao mesmo tempo, tão estranho e cativante a forma como as personagens lidam com a questão da comunicação por e-mail. Por um lado, Lincoln está a ler as conversas de outras pessoas e há um lado eticamente questionável em tudo isso. Mas, por outro, tudo parece ser feito com a melhor das intenções - pelo menos da sua parte. E quanto a Jennifer e Beth, a naturalidade com que discutem tudo e mais alguma coisa através do e-mail do trabalho reforça também essa tão estranha - e envolvente - sensação de inocência.

Tanto o enredo como a forma como a história está escrita transmitem uma sensação de leveza. O enredo, porque tem todo aquele ambiente de comédia romântica, feita de esperanças e de mal entendidos e em que se espera sempre que tudo acabe por correr pelo melhor. A escrita, porque os capítulos curtos, a escrita directa e o tom muito peculiar das conversas entre Beth e Jennifer criam um ambiente divertido quanto baste, mas com as medidas certas de intensidade e de emoção.

No fundo, acaba por ser uma história simples, ainda que improvável. Mas há ainda um outro aspecto curioso. É que, apesar de haver um romance a desabrochar, a ligação entre os protagonistas nem sempre parece ser o ponto central da história. Cada um deles tem uma vida pessoal a resolver, mudanças que precisam de acontecer e personalidades e valores próprios que transparecem em todos os momentos. Isto acaba por ser especialmente interessante pois acrescenta uma nova complexidade ao que é, no essencial, um romance fofinho, mostrando as personagens e a história que têm para viver de uma forma terna e algo inocente, mas não demasiado idealizada.

A soma de tudo isto é, pois, um livro leve e divertido, em que o caricato se junta ao enternecedor para dar origem a uma boa história. Cativante, surpreendente e muito agradável de ler, uma história que vale a pena descobrir. Recomendo.

Publicado em 17 Junho 2016

Arquivo

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business