Destemida - Opinião no Refém das Letras

Fallon, uma destemida guerreira celta, vê o seu destino mudado perante um acontecimento que a marcará para sempre. Através de uma viagem com rumo à sua nova vida como gladiadora, Fallon depara-se inesperadamente com o seu passado, gerando-se um confronto entre a sua nova identidade e aquilo que julgava ser a sua verdade. Com uma amálgama de revelações, conseguirá Fallon aceitar o seu caminho, quando simultaneamente se apercebe que a sua história se teceu com base em mentiras?

Destemida, o primeiro livro desta trilogia, apresenta uma personagem principal forte, desde logo cativando o leitor. Narrada na voz da protagonista, a história acompanha Fallon e os acontecimentos que a tornam numa gladiadora de César. O ponto mais forte da narrativa é, sem dúvida, Fallon que através da sua força de carácter e ousadia manifesta um brilho peculiar. Cai e Elka são outras duas forças imprescindíveis, constantemente ao lado de Fallon e um ponto de apoio muitas vezes fundamental. Não obstante, nesta primeira fase muito permanece por descobrir acerca dos intervenientes da história, bem como o papel que irão desempenhar ao longo da mesma.

O aspecto mais interessante deste livro é, a meu ver, a fusão entre a mitologia celta e a Roma Antiga. Como guerreira cantii, Fallon provém de um ambiente demarcadamente celta envolto no misticismo da deusa Morrighan, aliada à singular figura do corvo. Por outro lado, a gladiadora empenhará este seu cunho na arena, usando-o como trunfo e uma mais valia na sua luta como mulher de Roma. Seria fascinante se nos próximos volumes a autora apostasse mais nesta vertente e cruzasse com mais afinco as duas fortes influências culturais que estruturam Fallon.

A obra é dotada de uma narrativa simples e coerente, na qual os acontecimentos se sucedem vertiginosamente e contribuem para uma leitura fluída e agradável. A autora consegue, por vezes, realmente surpreender, manifestando um genuíno interesse na temática que aqui explora e, dessa forma, transmitindo o interesse ao leitor que anseia por saber mais. Não sendo, de todo, um livro de História, Destemida fornece um panorama geral da época que retrata, dando ênfase às personagens e àquilo que elas, eventualmente, poderiam ter sido em eras longínquas no tempo.

Nitidamente, Livingston pretendeu exaltar a figura feminina e o seu papel na sociedade romana. Mais que amantes e servas, as mulheres aqui retratadas são guerreiras implacáveis cuja verdadeira força vem de dentro e se manifesta nas suas decisões. Com o propósito de alcançar aquilo em que acreditam, as suas lutas são difíceis e cruéis, mas são a única opção para quem quer marcar a diferença e respeitar a sua própria identidade.

Desta forma, Destemida é uma excelente introdução de saga com a sua narrativa aliciante e uma protagonista deslumbrante. O contexto histórico da obra é vantajoso para o seu enriquecimento, bem como o estilo de Livingston que permite uma leitura veloz. Resta aguardar pelos próximos volumes e contar com a bravura de Fallon para fazer desta obra um sucesso.

Publicado em 31 Julho 2018

Arquivo

2018

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business