Eleanor & Park - Crítica em Doce Sonhadora

Eu estava super ansiosa para ler o livro Eleanor & Park, vi imensas opiniões bastante positivas sobre este livro e a cada uma que lia ficava ainda mais curiosa e eu precisava de saber se eu também iria gostar tanto assim e por isso sim, eu estava com altas expectativas para este romance e se muitas pessoas não gostaram do final, eu pelo contrário, o início do livro achei bastante monótono, mas mais ou menos nas últimas 50 páginas eu fiquei completamente viciada e até gostei do final, claro que gostaria de ter mais história, ou até mesmo uma continuação (Rainbow Rowell por favor não nos deixe assim *.*), mas acabei por me envolver e gostar bastante.
 

 

Eleanor & Park conta a história de duas pessoas que não se sentem bem com a vida deles . Eleanor é uma rapariga forte e veste-se com roupa de rapaz, devido a ser pobre veste o que consegue ter e quando volta a morar com a mãe, o padrasto e os irmãos também muda de escola e começa a ser vítima de bullying. Park é um rapaz coreano que à primeira vista é o aluno perfeito, tem uma boa família, tem amigos e é bom aluno, mas na verdade ele não se sente ele mesmo. Ambos começam uma relação amor/ódio no autocarro a caminho da escola, no início Park tem vergonha de falar com a Eleanor devido ao que os seus amigos dizem dela, mas com o tempo e com a ajuda da literatura e da música começam uma bela amizade que logo acaba num romance jovem bastante bonito e fofo.
 
Como já disse eu comecei este livro com altas expectativas, mas o início dele desiludiu-me, esperava mais do início, sim tem drama e retrata aspectos bastante importantes da sociedade, como o aspecto físico (ou o que a sociedade impõe como beleza), bullying na escola, maus tratos familiares, preconceitos, entre outros, que nos faz gostar do livro, mas já é uma coisa tão "normal" na literatura que esperava muito mais, por exemplo, os dois não se sentem bem com a vida que levam, mas por favor, qual adolescente não se sente assim? Pois, eu acho que é a maioria e nem mesmo algumas décadas depois isso é diferente (a história decorre nos anos 80), mas talvez seja por isso que o livro faz com que as pessoas reflitam e a conversa, não só nas escolas, mas também em casa, deve ser importante, pois mesmo décadas depois, o modo como as crianças são tratadas por outros continua igual e o bullying existe e, talvez, cada vez pior.
 
Ao longo do livro também é retratado aspectos mais emocionais, como o primeiro amor, amor proibido, amizade e relações familiares que é bastante importante para os personagens e é sempre bonito de se ler num romance fofinho que é Eleanor & Park.
 
Relativamente aos personagens eu gostei de ambos, são dois adolescentes que estão a descobrir a si mesmo e são verdadeiros e reais, qualquer pessoa é capaz de se colocar no lugar deles, eu principalmente revi-me imenso na Eleanor e eu gostei bastante dela, não critico como ela é, eu própria quando tinha a idade dela pensava assim e felizmente a minha família não era nem metade problemática do que é a dela e gostei de ver personagens verdadeiras com histórias verdadeiras que encaixam tão bem no dia de hoje.

 

 
A história passa-se nos anos 80 e por isso, o outro aspecto que eu adorei foram as músicas referidas ao longo de todo o livro, são todas perfeitas, as clássicas que conhecemos hoje em dia e sempre que aparecia uma nova só me apetecia ir a correr ouvi-la, sem dúvida que a autora conseguiu desenvolver muito bem todo o gosto musical dos personagens e transmitir isso para o leitor.
 
Gostei de todo o drama ao longo do livro e das histórias dos personagens, mas desde o início não percebi bem a relação da Eleanor com o padrasto, não percebi porque ela esteve quase um ano a viver fora de casa (o livro começa ela a voltar a viver com a mãe), não percebo o medo que ela sentia pelo padrasto, eu compreendo que ele seja mau para ela, mas ao longo de todo o livro, na verdade ele não lhe faz nada de mal, nadinha de nada e sim, ele tinha-lhe posto fora de casa, mas foi porque a mãe deixou, se a mãe se tivesse imposto tenho a certeza que nada tinha acontecido, gostava de ter mais informação sobre o padrasto, e o final do livro foi estranho, mas foi o que mais gostei de toda a história.
 
A escrita de Rainbow Rowell é fantástica, temos a história intercalada entre as versões da Eleanor e do Park, o que faz com que o leitor conheça a versão de ambos e perceba como são, mas em alguns momentos ficou estranho, pois num só capítulo temos vários parágrafos da versão de um deles e apenas uma frase na versão do outro ficando a pensar que talvez tenha sido desnecessário algumas partes, mas além disso é uma leitura rápida e envolvente e recomendo vivamente a todos os amantes do género juvenil com romance, drama e bastante cultura musical à mistura.
 
Classificação: 4 Estrelas
Publicado em 3 Fevereiro 2015

Arquivo

2020

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business