Entrevista a Terry Brooks sobre a série da MTV - As Crónicas de Shannara

As Crónicas de Shannara do autor Terry Brooks – o que os fãs podem esperar da nova série da MTV
«Acho que está muito boa»

Para o autor Terry Brooks foi um longo percurso até ver a sua saga Shannara ganhar vida. Mas 38 anos depois de a primeira edição do primeiro livro ocupar as livrarias, a MTV está a estrear uma série baseada neste reino mágico.
Antes da Comic-Con de San Diego, EW [Entertainment Weekly] falou com Brooks sobre o facto de Shannara finalmente ser adaptada a série televisiva, e o que os fãs dos livros podem esperar da nova série.

Entertainment Weekly: Como surgiu este projeto?
Terry Brooks: A coleção Shannara esteve sob a possibilidade, ora num ano ora no outro, durante imenso tempo, de vir a tornar-se um filme. Há cerca de 10 anos, houve um tipo que se aproximou de mim numa sessão de autógrafos. Ele disse, «Gostava mesmo de poder representar-te como agente.» Eu disse, «Tudo bem. Vai e faz alguma coisa. Depois diz-me.» Assim o fez. Foi Dan Farah. Ele basicamente colou todas as peças ao longo dos anos, particularmente nos últimos anos com a MTV e antes disso com Sonar Entertainment e com Al e Miles enquanto escritores. E vai mesmo ser uma série de TV.

EW: Seria sempre uma série televisiva na sua cabeça?
TB: Isso é algo que sempre pensei que fosse uma boa ideia, porque eu creio que há necessidade de mais espaço. Estamos a falar de um livro com mais de 600 páginas. Precisaria mesmo de muito espaço para a poder distender e fazê-la revelar-se ao longo das três horas em questão [caso fosse um filme].

EW: Houve alguma outra proposta que se aproximasse da produção?
TB: Houve muitas promessas. Muitas pessoas disseram que adoram os livros, mas nunca nenhuma foi lançada em nenhuma direção concreta.

EW: O que esteve por trás da decisão de começar o seu segundo livro da série?
TB: Sempre pensei que As Pedras Élficas fosse a escolha certa. É o segundo livro da série. É provavelmente o livro mais popular. É aquele livro sobre o qual mais oiço na maioria das vezes, quando os leitores falam sobre os diferentes livros. A questão demográfica é muito real, muito veemente. Há personagens femininas boas e fortes, personagens masculinas fortes. Tem uma história de amor. Sempre senti, desde o início, que deveria ter sido este o ponto de início. Felizmente que todos concordaram comigo, e assim tudo correu da melhor forma.

EW: Teve oportunidade de visitar o estúdio?
TB: A minha mulher e eu fomos lá durante uma semana em fevereiro deste ano. Tivemos a oportunidade de ver quão esmagadoramente grande era este projeto. Esperava uma câmara manual, alguns assistentes de cenografia e iluminação e alguns camiões. Quando vi que era um projeto em grande escala, pensei «Bem, a MTV está a tratar disto muito a sério.» Queriam mesmo fazer algo com isto. Foi muito motivador.

EW: Como foi ver todas as personagens que tinham sido criadas por si ganhar vida?
TB: Penso que se tem sempre o receio de que algo será terrível e vai correr mal. E não foi. Foi maravilhoso. Foi ótimo observá-los. Vi-os a gravarem algumas cenas... repetidamente. Creio que a adaptação está a funcionar tão bem como esperava. Tentamos não ter expectativas demasiado altas, mas devo dizer que estou muito esperançado com tudo isto. Creio que está muito bom.

EW: A série é uma adaptação fiel de As Pedras Élficas, semelhante à forma como Guerra dos Tronos foi adaptada?
TB: Não me falem de Guerra dos Tronos. Estávamos a dizer «Não queremos seguir esse rumo.» Isso não é o que são os livros de Shannara. São uma saga de fantasia orientada para um público familiar e sempre foram. Esse foi um dos argumentos de venda. Todos aqueles que tenham mais de 10 anos e leiam fluentemente conseguem ler estes livros. Sempre falámos sobre Shannara como se fosse uma série familiar que qualquer um pode ver. Pensei nele como uma adaptação fiel. Logo no início tinha dito a Al e Miles, «Sei que terão de fazer mudanças. Mantenham apenas os ossos da história unidos.»

EW: Houve alguma preocupação, em algum momento, de que fosse desadequado para a MTV?
TB: Esta é a pergunta que virtualmente todos os leitores perguntam: «MTV? Perderam o juízo?» Até acho alguma piada a «ser primeiro» com alguma coisa. Agradou-me a grande aposta que a MTV fez para isto e como estavam dispostos a sustentar o projeto e apoiá-lo, e era mesmo disso que eu estava à procura, mais do que tudo. Um compromisso para com o projeto. Foi muito persuasivo para mim, decidir que a MTV era o sítio certo. A MTV é conhecida por se reinventar a si mesma.

Publicado em 17 Julho 2015

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business