Filha do Sangue - Crítica no blogue O Sofá dos Livros

Este ano tomei a decisão de ler autores que nunca tinha lido anteriormente. E enquanto fanática de fantasia estava em falha em relação a esta autora, Anne Bishop. Quando li a sinopse no site da Saída de Emergência nunca pensei que acabasse por ficar viciada na história e nas personagens como fiquei. E quando acabei este primeiro volume fiquei a desejar ler o resto da história fantástica que a autora escreveu.

Um autor de fantasia tem a sua vida bastante dificultada, tem de criar um mundo de raiz, do zero, e este tem de ser tão ou mais real do que o nosso, senão o leitor não se sente envolvido e acaba por desistir de ler ou mesmo não chega a comprar o livro em questão. Anne Bishop consegue concretizar todas as exigências de um leitor de fantasia acérrimo, assim como do esporádico.

Inicialmente pensei que a leitura seria complicada, devido à elevada da quantidade de personagens e das suas ligações, mas estas são tornadas bem claras pela autora. E, o final deixa o leitor a exigir o resto da história.

Uma das personagens principais e, de certeza, aquela em redor da qual toda a história gira, é Jaenelle. Somos confrontados com a sua inocência e como utiliza o seu enorme e ilimitado poder em prol dos outros mesmo que isso a possa prejudicar. Ela ainda é uma criança e acaba por ser protegida e também influenciada por Saetan, Lucivar e Daemon. Cada um deles a tenta influenciar e manipular em proveito dos seus desejos, mas acabamos por ver que a inocência e a pureza da feiticeira acaba por os mudar e alterar acabando por ela os transformar em algo mais do que eram inicialmente e os guiar para o seu destino.

Pessoalmente, gostaria de ler mais acerca de Lucivar, achei uma personagem muito interessante e a sua ligação com as várias personagens pode ser mais profunda do que parece à primeira vista.

Na minha opinião, Anne Bishop criou uma série de antagonistas desprezáveis, como é o caso de Dorothea e o mais odioso de todos, Kartane, produto da mente e do sangue de Dorothea, que o moldou e quebrou a seu bel-prazer.

Este é um livro que não se recomenda aos mais novos devido a cenas de cariz sexual que são abordadas. Daemon, por exemplo, é um chamado escravo sexual e todo o seu envolvimento e sedução são descritos pela autora.

Eu quero ler o que vai acontecer no resto da trilogia a estas personagens e como estas vão evoluir e sei que todos os que lerem este primeiro volume se vão deixar envolver pelas personagens e pela escrita da autora.

Publicado em 26 Março 2013

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business