Frutos Proibidos - Crítica no As Leituras do Corvo

Centrado em grande medida no erotismo e na relação entre os dois protagonistas, este é um livro que surpreende e cativa, em primeiro lugar, pelo que tem para lá do romance. Todo o sistema construído em torno dos sonhos, com as hierarquias e capacidades dos habitantes do Crepúsculo serve de base para uma situação com acção quanto baste e bastante potencial a explorar. Potencial esse do qual apenas uma parte é revelada, ficando, por vezes, a impressão de que certos elementos poderiam ter sido mais desenvolvidos. Ainda assim, o que é, de facto, apresentado, é mais que suficiente para chamar a atenção, tornando a leitura cativante e despertando curiosidade para o que se poderá seguir.
Relativamente às personagens, os sentimentos entre o casal protagonista são o elemento dominante, e, por isso, acabam por ser os momentos mais emotivos o que mais cativa, mas há outros pontos que importa destacar. Primeiro, o equilíbrio entre as personalidades de Lyssa e Aidan, vindos de mundos diferentes, mas com muito em comum e também muito a descobrir um com o outro. Depois, a ligação deles às restantes personagens, sendo que, neste aspecto, sobressai a ligação de Aidan aos seus homens, com todas as questões de lealdade e devoção que necessariamente se associam a esse tipo de circunstância.
Quanto ao desenvolvimento do romance entre Aidan e Lyssa, há uma grande ênfase no lado físico, que acaba, por vezes, por se sobrepor em demasia aos restantes elementos da história. Ainda assim, há também uma boa medida de afecto e um surpreendente equilíbrio entre o inevitável erotismo, alguns momentos particularmente emotivos e um muito agradável sentido de humor.
De tudo isto resulta uma história envolvente, com um sistema muito interessante e um bom equilíbrio entre acção e romance, emoção e humor. Um bom início, portanto, e uma leitura cativante.
Publicado em 22 Novembro 2013

Arquivo

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business