Histórias dos Sete Reinos - Crítica em Uma Biblioteca em Construção

Sou fã de Westeros, das suas histórias, personagens e intrigas e anseio ler a continuação de "As Crónicas de Gelo e Fogo". Como não está para breve a publicação de um próximo volume e como quem espera desespera, foi com grande satisfação que soube que as Edições Saída de Emergência iam publicar Histórias dos Sete Reinos. Este volume junta três contos de George R. R. Martin que acontecem em Westeros mas num tempo anterior ao das crónicas. São eles "O Cavaleiro de Westeros", "A Espada Ajuramentada" e "O Cavaleiro Mistério".

Gostei que esta edição contasse com uma nota introdutória que expõe os diversos povos que habitaram Westeros. Desta forma, dá para perceber a complexidade do território assim como entender que os conflitos e intrigas já vêem de um passado muito distante. Também é interessante constatar como todos estes povos influenciaram a sociedade, política e religião do território, dando a ideia de que este é um mundo rico e complexo, sendo por isso fácil acreditar que poderia ser real. Existe também uma nota do autor onde ele explica as razões para ter escrito estes contos e onde expõe aos seus leitores questões interessantes sobre o que pode ser ou não ser considerado fantasia.

Ao contrário de outros livros de contos do autor publicado pela editora, neste volume, as três histórias são protagonizadas pela mesma personagem. Trata-se de Dunk, um jovem de origens humildes, valores nobres, alguém com quem é fácil simpatizar. O facto de tudo rodar à volta deste cavaleiro faz com que os contos possuam maior ligação, para além de é também mais simples e automático adaptarmo-nos à história que se segue.

Os contos surgem em ordem cronológica e apresentam temas diferentes. Em "O Cavaleiro de Westeros", assiste-se a um Dunk mais ingénuo e que sonha ser reconhecido pelos outros cavaleiros. Nesta trama também surge Egg, um jovem que deseja ser o escudeiro de Dunk e que revela ser uma personagem muito bem conseguida e interessante. Apreciei a construção da amizade entre ambos, muito por parecer natural mesmo tendo muitos confrontos. Os jogos, a intriga, as revelações e conclusões entusiasmaram a leitura e fizeram deste conto o meu preferido de toda a obra.

"A Espada Ajuramentada" é o conto que se segue e faz pensar no peso do passado, no facto de cada história ter mais do que um lado, mas apenas aquele que saiu vencedor é considerado. Foi uma leitura que custou mais a arrancar, mas cujo desfecho achei agradável. Para terminar, chega "O Cavaleiro Mistério", um conto que me fez pensar em como a história de Westeros poderia ter desenvolvido de forma diferente se certos eventos tivessem apresentado pequenas alterações.

Um facto que muito me agradou nos três contos foi o facto de eles se passarem numa época em que os Targaryen reinavam. Infelizmente não existem dragões, mas mesmo assim percebe-se o poder desta família. É curioso perceber as diferenças entre os elementos deste clã e conseguir perceber onde acaba o homem e começa a lenda.

Histórias dos Sete Reinos é um livro que faz as delícias de qualquer fã de As Crónicas de Gelo e Fogo. É fácil fazer as ligações entre passado e presente da trama, para além de que é muito interessante ver os antepassados de certas famílias, perceber as ligações que naquele tempo existiam e ainda assistir a eventos que poderão ter servido de base às crónicas. Recomendo.

Publicado em 15 Setembro 2014

Arquivo

2019

2018

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business