Luz e Sombras - Crítica no blogue As Leituras do Corvo

Revelada a verdade sobre a ligação entre as bruxas e os Fae, e ante a ameaça que pende não só sobre as bruxas, mas sobre a liberdade de todas as mulheres, seria de esperar que, ainda que apenas pelo seu próprio bem, os Fae tomassem a iniciativa de as proteger. Mas não é isso que acontece e o Bardo e a Musa estão sozinhos na sua demanda por uma forma de impedir que os massacres se voltem a repetir por toda Sylvalan. Ainda assim, é possível que a sua jornada não seja vã e, enquanto o seu caminho os leva a humilhações e dificuldades, há clãs no oeste que não esqueceram as suas origens e que estão atentos. E, aí, talvez seja possível encontrar o auxílio de que precisam para preservar as bruxas, não apenas para que mantenham viva a ligação a Tir Alainn, mas pelo que são e pelo direito que têm a ser protegidas.
Neste livro, como nos outros desta autora, há algo de fascinante na forma como as histórias pessoais das múltiplas personagens se unem num todo maior, sem que, em algum momento, se percam de vista os seus valores e fragilidades, objectivos e demónios pessoais. É, talvez, este aspecto que faz com que a história seja complexa, sem perder a envolvência, e marcante, tanto pelo rumo global dos acontecimentos como pela empatia que se estabelece até com as personagens mais secundárias. Isto é uma constante nos livros de Anne Bishop, mas é algo que se evidencia particularmente neste Luz e Sombra, já que, contrariamente ao volume anterior, não se pode definir exactamente uma história principal, mas antes várias linhas que convergem para uma mudança que afectará a globalidade do mundo apresentado.
De certa forma, este livro funciona como um volume de transição, menos marcado por grandes acontecimentos e mais como uma preparação para uma vasta mudança, sugerida já pela importante revelação que surge no final. Mas isto não faz com que a história seja menos marcante. Para cada um dos elementos que se destacam - na busca de Aiden e Lyrra, na ascensão de Lyam ao título de Barão, no cenário governado por Padrick e Ashk - há situações marcantes, revelações surpreendentes e momentos comoventes que abalam a vida daqueles que os vivem, tornando-os mais próximos do leitor pelas forças que demonstram e pelos golpes sofridos. As personagens, como o mundo, são fascinantes. A história cresce a cada nova revelação.
E, se este é um mundo aparentemente menos negro que o das outras séries da autora, não lhe faltam, ainda assim, os contrastes entre as tais luz e sombras que dão título a este livro. Heróis e vilões parecem estar bem definidos nos seus papéis, mas isso não lhes retira qualquer interesse, já que as características que os definem - e as razões que os movem - os tornam sempre mais próximos, à medida que o que os define é revelado.
Com um mundo fascinante, um conjunto de personagens carismáticas e um enredo que se torna ainda um pouco mais marcante a cada nova revelação, Luz e Sombras acrescenta a um enredo com muito de bom uma série de interessantes desenvolvimentos, sempre com a mesma envolvência e com aquele toque de emoção que torna cada novo livro desta autora algo de simplesmente maravilhoso. Fascinante, como sempre.

Publicado em 6 Julho 2012

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business