Mulheres Perigosas - Opinião no The Girl Who Reads

“Mulheres Perigosas” é um livro que reune 11 autores no total. Alguns deles já conhecia, outros não. Mas adorei o livro, pelo facto de me dar a conhecer um pouco de cada autor em curtos contos. Os únicos cuja escrita conhecia eram Brandon Sanderson e George R.R. Martin e adorei por completo os seus contos. Melinda M. Snodgrass e Lawrence Block foram, de entre os que não conhecia, os autores de que mais gostei sem dúvida.
Mas falando melhor sobre cada conto e autor…

“Completamente Perdida” de Joe Abercrombie: Apesar de demasiado descrito, o que torna a ação ligeiramente confusa ao inicio, o conto tem uma protagonista interessante. Assim que a ação se tornou mais clara, passei a adorar este conto e a querer saber mais sobre Shy e o mundo de Abercrombie.

“Ou o Meu Coração Está Destroçado” de Megan Abbott: Os personagens e a ação são ligeiramente confusos, difíceis de compreender, mas acho que essa é a graça do conto, sendo que se trata de um conto de crime. Gostei bastante do tema que Abbott aborda aqui e a escrita manteve-me presa, fazendo-me ficar curiosa com o desfecho da história.

“As Mãos que Não Estão Lá” de Melinda M. Snodgrass: Adorei a história deste homem e da mulher com quem este se envolve. Foi realmente viciante ler este conto. O final foi surpreendente, com um “plot twist” que não esperava mas que adorei e que me fez querer ver mais deste mundo.
“Raisa Stepanova” de Carrie Vaughn: Gostei imenso da parte histórica em que se insere o conto e da protagonista mas o final não foi o que esperava, não sendo digno do que encontramos ao longo do conto. Esperava um pouco mais para uma protagonista corajosa como Raisa.

“Eu Sei Escolhê-las a Dedo” de Lawrence Block: Talvez o meu segundo ou terceiro conto favorito, pela fluência da história e pelo desfecho. Adorei o personagem principal, mesmo este sendo um homem e não a “mulher perigosa”, sendo um personagem complicado (“messed-up” em inglês) e com um passado extremamente intrigante.

“Sombras para Silêncio nas Florestas do Inferno” de Brandon Sanderson: O meu conto favorito de todos (a competir um pouco com o de George R.R. Martin). Adorei o mundo, as personagens e o perigo que as rodeia. Tudo nesta história foi incrível, surpreendente e adoraria conhecer melhor este mundo repleto de sombras.

“Uma Rainha no Exílio” de Sharon Kay Penman: Achei um pouco extenso este conto mas gostei imenso dele, sobretudo da parte final que mostra a coragem de Constança, que era uma mulher perigosa pela sua força e inteligência.

“A Rapariga no Espelho” de Lev Grossman: Gostaria de ver este mundo e história expandidos num livro, sem dúvida. A viagem da Plum poderia ter sido menos descritiva e extensa, mas de resto adorei e adoraria saber o que aconteceu após a sua vingança.

“Dar Nome à Fera” de Sam Sykes: Excepto uma pequena cena ou outra, achei este conto extremamente confuso e foi talvez o que menos gostei.

“As Mentiras Que a Minha Mãe Me Contou” de Caroline Spector: Foi o único conto que não terminei, pois toda a história de super-heróis e o mundo é me desconhecido. Após alguma pesquisa, conclui que este trata-se mais ou menos de um conto baseado num mundo já criado. E a história não cativou de todo, infelizmente.

“A Princesa e a Rainha ou Os Negros e os Verdes” de George R.R. Martin: Já esperava encontrar um conto extenso e bastante descritivo (na minha opinião, este conto estaria perfeito se reduzido por 20 páginas) mas é impossível não nos agarrarmos ao mundo que George Martin nos mostra. Adorei conhecer este passado de Westeros, onde existem vários dragões em que os Targaryens são os “donos” do trono dos sete reinos, lutando entre si por ele. Este conto foi quase como uma segunda oportunidade dada ao autor e após terminá-lo, decidi que irei dar uma nova oportunidade aos livros de “A Song of Ice and Fire”, sem dúvida!

Publicado em 21 Dezembro 2017

Arquivo

2018

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business