O Festim dos Corvos - Crítica no blogue Páginas Desfolhadas

Não chega! Li 6 livros e mesmo assim não chega!
Acompanhando a série quase a par e passo com a leitura, é cada vez maior a noção de que as duas dimensões desta história não acontecem ao mesmo ritmo, e em muitos casos, não acontecem da mesma forma!
A leitura do sétimo livro torna-se inevitável, pela sede de saber cada vez mais incontrolável, estando algumas das personagens que mais amo na história em momentos cruciais da sua evolução.
O mapa alarga-se e a acção vai acontecendo em cada vez mais lugares diferentes, trazendo a nova geografia personagens diferentes, enigmáticas, e costumes que justificam os sete reinos originais pelo sua diversidade. A inteligência de Martin é ridiculamente fértil, detalhando a acção com pormenores que me adoçam a imaginação e fazem florescer escuras emboscadas, coloridos reencontros e estradas semeadas com a cor do sangue e o cheiro da morte.
Só a meio do livro sinto a falta de personagens. Franjas de história que não se desenrolam, como que esquecidas entre a trama. Não descansada, procurei entre pré-escritos e pós escritos, agradecimentos, esclarecimentos e dedicatórias, até que encontrei o porquê, explicado pelo próprio autor - pareceu-lhe melhor dividir as tramas. Seria melhor para o leitor perceber o que aconteceu a determinado grupo de personagens num determinado tempo, e num volume posterior, acompanhar outro grupo de personagens nesse mesmo período. Faria sentido se o volume seguinte (correspondente aos 9 e 10 volumes nacionais) tivesse sido lançado um ano após este volume, o que não aconteceu... Enfim.
Acabado o livro, foi o tempo de o pousar e pegar no 8º volume, para continuar a saga. Nunca pára a vontade!

Impossível leitura para os que sofrem de ansiedade ou difícil controle sobre curiosidade. Se pertencem a estes grupos, nem peguem no primeiro volume!

Publicado em 17 Julho 2013

Arquivo

2019

2018

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business