O Mar de Ferro - Crítica no Páginas Desfolhadas

Foi de enfiada. Acabei o sétimo volume já com o oitavo à mão. Com a série televisiva a ser devorada à medida que a televisão o permitia, a leitura foi preenchendo o resto do tempo, numa tentativa de matar a curiosidade.
Como sempre, Martin excede-se. Retoma algumas franjas da história que pareciam ter sido negligenciadas, mostrando que na realidade estavam só à espera do seu momento. Voltamos a Pike, dividida pela perda do seu rei, entramos pela profunda rede de marginais que se vão organizando à margem de uma guerra que não respeita sequer fronteiras morais, e seguimos Sam na sua demanda de fé e obrigação, em constante debate consigo mesmo.

Senti a falte de Daeneris, de Sam, de Tyrion e tantos outros... Mas mesmo assim, as páginas escorregaram sob os meus dedos, umas a seguir às outras, e em menos tempo do que esperava, o livro terminou...
Tinha já à minha frente os nono e décimo volumes. Abri-os, descobri mapas mais alargados, abarcando territórios que já me tinham sido apresentados, entre outros que com certeza virão... Choravam outros livros por alguma atenção. Respirei fundo e, vencendo a muita vontade, e também com medo de chegar ao fim da história que se conhece até agora, decidi dar algum tempo até retomar esta saga. Não será muito... Acredito! ;-)

Publicado em 22 Outubro 2013

Arquivo

2019

2018

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business