O Terceiro Desejo - opinião em O Imaginário dos Livros

 Depois de ter lido grandes opiniões em relação a este livro não podia ficar indiferente. A saga que inspirou um dos jogos mais famosos de sempre (The Witcher), chegou à Edições Saída de Emergência. Decidi apostar e ainda bem, pois foi uma excelente experiência! Gostei imenso, foi uma lufada de ar fresco. Agradeço desde já a oportunidade de o ler em conjunto com a Edições Saída de Emergência.
 
Neste primeiro livro da saga é nos apresentado Geralt de Rivia, o famoso bruxo que tem alcançado enormes feitos relativos à caça de seres mágicos e perigosos e outros assuntos relacionados com magia e sobrenatural. O livro está dividido como que em duas partes: presente e passado. No presente, os capítulos intitulados A Voz da Razão, é apresentado Geralt no período de convalescência após a primeira aventura narrada. Ao longo desses capítulos ou seja, ao longo desse período de calma, Geralt vai relembrando algumas das suas missões e aventuras enquanto conversa com outras personagens que vão aparecendo, como Jaskier, um poeta e trovador, muito engraçado e brincalhão. Confesso que quando Jaskier apareceu ainda tornou as aventuras de Geralt mais engraçadas e mirabolantes, fazendo com que gostasse mais do livro.
 
Geralt é uma personagem muito interessante. Com um passado misterioso, dei por mim a querer saber mais sobre ele, sobre como se tornou bruxo e como foram as suas aventuras que lhe deram a sua fama. A curiosidade, em conjunto com a forma como a prosa está encadeada, fizeram com que o livro fosse lido num ápice. Em relação às outras personagens, todas elas são encantadoras. Ou seja, todas tem um papel importante, muito divertidas e sombrias, ao mesmo tempo. O autor conseguiu criar um leque imenso de personagens, várias para cada aventura, praticamente, e todas elas são diferentes, todas elas são riquíssimas e dinâmicas. Jaskier foi a personagem que mais gostei, em conjunto com Geralt e Yennefer, que também é muito engraçada. 
 
O enredo é muito bom, repleto de aventuras e ação. O autor não se poupa nos acontecimentos e na forma como os narra, havendo de tudo. São várias aventuras que servem como pano de fundo para a fama de Geralt e todas elas são únicas e cheias de emoção. Gostei muito, tanto da narrativa em si, como da prosa, como das diferentes aventuras. Sempre com humor, ação e aventura, o autor criou algo novo dentro de um género onde há várias outras histórias. 
 
A existência de seres mágicos "tradicionais" (elfos, anões, vampiros...) e de outras personagens presentes nas histórias tradicionais recolhidas pelos Irmãos Grimm, fez com que tudo ainda se tornasse melhor. O autor deu um olhar totalmente novo e remodelado a histórias, personagens e seres já conhecidos. Achei este aspeto totalmente fantástico e inovador. 
 
As descrições também estão muito boas, elaboradas e sempre presentes para dar algo à história e à ação em si. Nunca são demasiadas nem exaustivas e têm sempre um quê de humor e diversão. Tal como a escrita. 
 
A escrita é excelente e, a meu ver, um dos maiores trunfos da história e do autor. Ela é fluída, dinâmica, mordaz e irreverente. O autor não tem problemas em usar determinados vocábulos e jogos de palavras, indo sempre ao cerne da questão e mostrando audácia tanto na escrita como na narrativa. 
 
Em suma, uma excelente aposta da editora e espero ler em breve o segundo volume, que já saiu por cá e tem como título A Espada do Destino. Recomendo totalmente a todos os que gostam de uma aventura sem limites! 
 
NOTA (0 a 10): 10  
Publicado em 26 Julho 2017

Arquivo

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business