Pedra Pagã - Crítica no Marcador de Livros

Por distração minha parti para a leitura deste livro sem ter lido os dois anteriores pertencentes à trilogia. Se os tivesse lido de certeza que me agarraria mais às personagens e à história em si.
Mesmo assim, gostei deste registo de Nora Roberts, um bocadinho fora do romance lamechas e mais sobrenatural. Tudo bem que coisas de forças malévolas, demónios e afins não são muito o meu gosto literário, mas gostei deste livro, ficando curiosidade de ler os outros dois.
Em Pedra Pagã Nora Roberts explora a personagem Gage, um rapaz problemático, orfão de mãe, mas com um espírito forte e com vontade de vencer as adversidades da vida. Constatemente com a mãe no pensamento, Gage chega a sonhar com ela e visita frequentemente a sua campa, o que dá ao demónio motivos mais que suficientes para aparecer e tentar enganar o jovem.
Neste terceiro volume, além do romance protagonizado por Gage e Cybil, termina a luta com o demónio que tem atormentado os três amigos (Fox, Gage e Cal), que surge apenas de 7 em 7 anos, a 7 de Julho.
Gostei da particularidade dos três amigos terem nascido no mesmo dia, no mesmo ano e à mesma hora, daí se terem denominado irmãos de sangue. Tranformando assim um elo de ligação muito forte entre eles.
As suas companheiras também têm um papel relevante em toda a história.
Fiquei com curiosidade de conhecer mais produndamente os outros irmãos de sangue para ter uma opinião mais completa desta trilogia.

Publicado em 10 Dezembro 2013

Arquivo

2018

2017

2016

Listas de Recomendações

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business