Ponte de Sonhos - Crítica em O Sofá de Livros

Anne Bishop é uma das minhas autoras preferidas. Comecei a ler a sua obra há mais de um ano e acabei por me apaixonar pelas personagens que ela criou. Quer as femininas quer as masculinas são extremamente fortes e complexos.
Quanto a este livro, pertence ao mundo de Efémera, onde o mundo é tratado como um ser vido, muitas vezes apelidado de criança selvagem e comporta-se exactamente como se se tratasse de uma. Esta acaba por brincar com os seres humanos e com tudo que a rodeia aprendendo sempre coisas novas, criando situações completamente hilariantes e caricatas que podem trazer problemas.
Neste romance a autora focou-se mais no Lee, irmão de Gloriana, e nos seus anseios do coração. Durante anos ele lutou para proteger a irmã e neste romance ele sente que não tem um rumo, perdeu o seu sentido de vida e tem de encontrar um novo. As coisas começam a correr-lhe mal quando se cruza com uns magos que desejam mal a Gloriana e ele acaba por ser levado por Efémera para longe e ninguém sabe dele.
Aqui também conhecemos novos habitantes deste Universo, as Tríades, sendo que inicialmente são um pouco confusas de se compreender, como em todos os universos de Bishop, mas com o desenrolar da história vamos compreendendo estas personagens e entendemos como é que elas são e como vivem. Zhahar é um das personagens centrais deste romance e é através dela que vamos ter uma melhor perspectiva desta nova espécie, por assim dizer.
Um romance intenso que está bastante interessante e que se passa num Universo tão inconstante como o próprio coração humano.
Publicado em 15 Setembro 2014

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business