Sangue Ardente - Crítica no blogue As Leituras do Corvo

Lutar pela sobrevivência começa a ser algo normal na vida de Sookie Stackhouse. Entre o inexplicável incidente no Merlotte's, cujo culpado Sookie apenas consegue vislumbrar, a evidente tensão entre Eric e a vampira que este criou, o misterioso comportamento das fadas que a rodeiam e os eternamente complexos meandros da hierarquia vampírica, Sookie não tarda a perceber que é provável que esteja em sarilhos... outra vez. Mas nada do que a rodeia é o que realmente espera e, desta vez, a telepata ver-se-á activamente envolvida numa conspiração que pode abalar os rumos da política vampírica. E as suas vulnerabilidades humanas serão particularmente evidentes, quando confrontadas com o lado mais negro dos vampiros.
Tal como nos volumes anteriores desta série, os pontos fortes que se destacam são o ritmo compulsivo e o cativante sentido de humor. À medida que a história de Sookie se torna mais e mais complexa, torna-se também mais interessante ver como a protagonista se adapta a um mundo que é completamente diferente da por vezes desejada normalidade, mas no qual tem um importante papel a desempenhar. As suas ligações às figuras sobrenaturais tornam-se mais intrincadas, quer com a revelação de novos elementos no que respeita ao mundo das fadas, quer com as alterações em curso na hierarquia dos vampiros. Não podendo, devido ao seu poder e à sua natureza, evitar a interacção com qualquer dos dois mundos, é interessante acompanhar o desenvolvimento da personagem: as boas características - a força, o sentido de humor, a consciência no sítio certo - de Sookie não se perdem, mas a sua personalidade adapta-se ao lado menos... humano... do mundo de que, queira ou não, passou a fazer parte.
Há uma série de desenvolvimentos interessantes a nível da vida pessoal da protagonista, mas a questão de quem será o homem (ou vampiro? ou lobisomem?) com quem Sookie acabará por ficar deixa de ser um ponto de destaque. Tanto a sua relação com Eric como as interacções com os antigos... pretendentes... têm, ao longo do livro, uma série de momentos interessantes, mas não é esse o ponto fulcral da narrativa. E, com tanta coisa a acontecer ao longo do livro, é agradável ver o equilíbrio que se criou ente a vida pessoal e emocional de Sookie e o cenário mais vasto em que esta está envolvida.
Acção constante, uma série de novas revelações a surgir ao longo do enredo e uma história que cresce em intensidade para culminar num final marcante e que deixa bastante curiosidade para o que virá no volume seguinte, este é, em suma, um livro viciante, com uma escrita e uma história cativantes e onde a vida da protagonista e o mundo que a rodeia são desenvolvidos de forma equilibrada e sempre interessante. Muito bom.

Publicado em 17 Maio 2012

Arquivo

2017

2016

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business