Tudo o que ficou para trás - Crítica no Livros a Doi2

Neste livro, Nora conta-nos a história da Princesa Adrianne, filha do Rei de Jaquir (país ficcional de origem árabe) e de uma famosa actriz de Hollywood, Phoebe Springs. Adrianne, ou Addy, tinha tudo para ser feliz, mas quando se apercebe do ódio e do desprezo que o pai tem pela mãe e por ela, percebe desde muito cedo, que o mundo não é um conto de fadas. Depois de terem fugido à repressão do Rei de Jaquir, Addy vê a mãe a destruir-se lentamente, e é obrigada a crescer para se defender na vida e ajudar a mãe, e prometeu vingar-se do pai.

A história deste livro não é só sobre Addy, fala-nos também de Philip Chamberlain, um ladrão profissional que se aposentou e trabalha agora para a Interpol, que tem como missão apanhar um famoso ladrão que se chama O Sombra. As vidas de Addy e Philip dois cruzam-se e a história fica mais interessante.

Philip é uma personagem interessante, o ladrão que roubava para melhorar a vida da mãe, e dele claro, mas não é uma pessoa má. Rouba só aos mais ricos. Tipo Robin Hood. Addy é uma personagem mais intensa. É uma mulher inteligente mas sofrida, com medo de sentir emoções.
A escrita é bastante fluída e o enredo desta história desenvolve-se um pouco lentamente no início, mas quando se chega à acção propriamente dita, o ritmo é bastante rápido.  

Apesar de se notar que é um livro escrito nos anos 80, um ponto interessante, mas que nos provoca uma certa revolta, neste livro, são as diferenças de cultura/religião entre a cultura ocidental e árabe. Um tema muito actual, nem sempre pelas melhores razões.

Não sendo dos melhores que já li da Nora, é um livro com uma história interessante, com muito romance e suspense que se lê muito bem.

Publicado em 27 Janeiro 2015

Arquivo

2019

2018

2017

Listas de Recomendações

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business