Um Bom Partido - Opinião em As Leituras do Corvo

Os Bennet são uma família peculiar. Vários anos de desinteresse deixaram-nos em dificuldades financeiras e a grande esperança da Sra. Bennet é arranjar maridos ricos para as filhas, até porque Jane e Liz, as mais velhas, estão quase a chegar aos quarenta anos. Por isso, quando Chip Bingley, estrela do reality show Bons Partidos, chega a Cincinnati, a senhora Bennet começa a fazer grandes planos. Só que Jane e Liz não só as mais velhas, são também as mais independentes. Chip pode até ser um bom partido para Jane, mas a situação é delicada. E quanto a Liz... bem, sobre o homem rico que acaba de cruzar o seu caminho, Liz não tem nada de bom a dizer.
Sendo apresentado como uma versão moderna de Orgulho e Preconceito, é difícil não partir para esta leitura à procura das diferenças e dos paralelismos e, na verdade, as surpresas começam logo aí. As diferenças são, à partida, óbvias, com o cenário moderno e, consequentemente, cheio de desafios diferentes para as irmãs Bennet. Mas os paralelismos, esses, são deliciosos. Num registo bastante mais leve e divertido do que a obra que serviu de inspiração, a autora consegue, ainda assim, manter-se fiel à alma de Orgulho e Preconceito, transportando as mesmas personalidades para uma história completamente distinta.
Era de prever que a história fosse ter os seus momentos caricatos - mas talvez não tanto. Desde a relação amor-ódio entre Liz e Darcy às excêntricas irmãs mais novas de Liz, passando, claro, pelas pequenas grandes manias da senhora Bennet e pelo ódio (esse sim sem amor algum) entre Caroline e Bingley, há todo um conjunto de episódios bizarros, surpreendentes e principalmente muito divertidos ao longo desta história. O resultado... bem, o resultado é viciante. 
Tudo parece divergir da história de Orgulho e Preconceito, com o mundo dos telemóveis e dos reality shows a contrastar com o contexto da obra original. Ainda assim, o que a autora constrói é um equilíbrio notável entre o antigo e o novo. Liz, Darcy, Jane, a Sra. Bennet, todos eles têm bastante das personagens originais, mas têm também uma natureza própria e uma história que, num cenário muito mais moderno, permite também a abordagem de várias questões relevantes.
Tudo somado, fica a impressão de uma história que, inspirada numa obra intemporal, consegue transportá-la para um outro cenário e dar-lhe uma vida diferente sem perder nenhum dos seus traços essenciais. Viciante, divertido e cheio de surpresas, um livro irresistível.
Publicado em 8 Fevereiro 2019

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business