Vida Roubada - Crítica no Leituras do Fiacha

Um livro muito bom, mas que não é, seguramente, fácil de comentar dado a complexidade do enredo bem como a forma como é narrado pois estamos sempre a mudar de narrador e a dar saltos temporais, mas que, com o decorrer do tempo, acabamos por começar acompanhar. 
É, sem dúvida, uma leitura fascinante, pois acabamos por conhecer melhor um país totalmente diferente do que estamos habituados, os seus hábitos, cultura e tradições e embora possam ser relatados alguns factos algo exagerados, acabam por se enquadrar bem com o enredo e acima de tudo, dada a sua crueldade, fazer-nos pensar como é possível nos dias de hoje ainda haver este tipo de mentalidades. 
Como referi, o enredo é complexo, mas acabamos por verificar que o escritor tem tudo bem pensado e acaba por surpreender com a qualidade do trabalho apresentado, percebe-se o porquê da atribuição do prémio. As personagens são interessantes, embora em abono da verdade a que mais me tenha cativado seja a principal Jun Do, dada a sua complexidade e por todas as situações por que passa, sendo a que mais me marcou sem dúvida. Quanto à escrita, numa primeira fase algo descritiva, mas que acabamos por apreciar com o decorrer do tempo.
E nada como terminar com algo dito na sinopse:
 
"Em parte thriller, em parte história de amor, Vida Roubada é um retrato cruel de uma Coreia do Norte dominada pela fome, corrupção e violência. Mas onde, estranhamente, também encontramos beleza e amor."

"Vida Roubada merece um lugar ao lado das distopias clássicas como Mil Novecentos e Oitenta e Quatro e Admirável Mundo Novo."

—Barbara Demick, The Guardian

Livro excelente :)

Publicado em 25 Março 2014

Arquivo

2019

2018

2017

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business