Pais Apressados Filhos Stressados - Opinião no Curly aos Bocadinhos

Este livro pequeno e de escrita ligeira fez-me sentir um grande, grande peso nos ombros.

Tive momentos em que achei que me devia chicotear porque, infelizmente, me revi em algumas situações descritas pelo autor. Não em todas, felizmente.

Este livro é sem dúvida um abre olhos, um livro que nos faz parar, que nos faz questionar a forma como vivemos hoje em dia. As correrias, a falta de tempo, esta lufa-lufa para chegarmos a lado nenhum. Mal temos tempo para estar em família, para estarmos com os miúdos e, por vezes, quando temos, parece que precisamos de arranjar mais uma correria de coisas para fazer, sob pena de nos sentirmos vazios.

Ainda que o autor não nos acuse. É mais um discurso quase directo para com o leitor, um “então, já pensou nisto?”, “então, e se tentasse fazer de outra forma?”. Mas, sem dúvida que nos toca nas feridas e faz doer. Apesar da ligeireza e da forma divertida como nos fala do assunto. O que é uma forma muito inteligente de chamar a atenção. Parece que é só uma piadola, mas está tudo lá.

O final foi engraçado como forma de terminar um livro que não nos apresenta soluções para este problema. Se estão à espera de fórmulas mágicas neste livro, esqueçam. É um livro para nos fazer questionar e pensar, para nos levar a mudarmos algo dentro de nós, ou pelo menos para de vez em quando nos lembrarmos de que temos escolha e de que podemos fazer algumas coisas de forma diferente.

Não é fácil este equilíbrio, porque, claro, idealmente, respeitávamos todos os dias o nosso relógio biológico e o dos nossos filhos, tomávamos pequeno-almoço de novela brasileira, ainda lia um ou dois capítulos do livro do momento e só depois saíamos de casa. O que importava se chegávamos ao emprego ou às escolas à hora de almoço? E se ao fim de 2 horas de lá estarmos achássemos melhor ir andando para depois não ser uma correria ao final do dia, melhor ainda. Isto era capaz era de dar alguns problemas.

Portanto, é mesmo importante é tentar encontrar algum equilíbrio entre os momentos de adrenalina com os momentos endorfínicos, sem colocarmos em risco as nossas responsabilidades e as dos nossos filhos.

Eu confesso que hoje, por exemplo, estou num daqueles dias em que tinha passado na boa várias horas numa esplanada ao sol a ler. Mas pronto, não posso. Vamos respirar fundo e tentar levar com calma tudo o resto que ainda há para fazer depois do emprego e das aulas.

Recomendo bastante esta leitura. Apesar das correrias, é um livro que se lê facilmente, e que apela à reflexão sobre a qualidade de vida que temos hoje em dia.

Publicado em 14 Maio 2019

Visite-nos em:

Revista Bang Instagram Nora Roberts facebook youtube
Amplitude Net - e-Business